ANIVERSÁRIO /

Sexta-feira, 03 de Julho de 2020, 06h:30

A | A | A

Campo Verde completa 32 anos de emancipação

Amanhã (04), a população que tanto ajuda o município a se desenvolver comemora a data de forma diferente, dentro de casa!


Imagem de Capa
Jaqueline Hatamoto/com Assessoria de Imprensa

Com mais de 130 anos de história desde que as primeiras famílias vindas de Minas Gerais se instalaram em seu território, Campo Verde sempre teve sua trajetória marcada pelo desenvolvimento.

 

Desenvolvimento esse que se acelerou com a chegada dos sulistas nos anos de 1960 e se consolidou com sua emancipação político-administrativa em 4 de julho de 1988, por meio da Lei Estadual número 5314/88, de autoria do então deputado estadual Moisés Feltrin e sancionada pelo ex-governador Carlos Bezerra.

Todo o progresso e desenvolvimento de Campo Verde podem ser atribuídos ao trabalho de sua gente aliado às ações do Poder Público, que sempre buscaram fazer da cidade um lugar onde todos pudessem viver de forma digna, com acesso a bens e serviços que proporcionam uma excelente qualidade de vida.

Ao completar 32 anos de emancipação, Campo Verde tem conseguido passar por uma das mais severas crises econômica e sanitária, registrando índices de crescimento superior ao da maioria dos municípios brasileiros.

CAMPO VERDE NOTURNA.jpg

 

Sua população cresce a uma média de 4,4% ao ano e seu PIB é o 13º maior de Mato Grosso. Tendo a agricultura como carro-chefe de sua economia, Campo Verde está entre sete maiores produtores de commodities do estado.

O desenvolvimento de Campo Verde pode ser medido também pelos investimentos feitos no setor imobiliário, que registra anualmente uma média de 540 novas edificações. Somente nos últimos quatro anos, cinco grandes loteamentos foram criados na cidade.

Por sua vez, o Poder Público Municipal tem feito seu papel, investindo em setores primordiais, como saúde, educação, infraestrutura, esporte e lazer, com recursos próprios ou por meio de convênio com os governos estadual e federal.

Na Educação, duas grandes escolas estão sendo construídas. Uma no Residencial Santa Rosa, em parceria com o Governo do Estado, e outra no Residencial Greenville, com recursos próprios. Também está sendo construída no Jardim América, uma creche em parceria com o Governo Federal. Esses investimentos vão garantir a criação de mais 1,8 mil vagas na educação infantil e no ensino fundamental.

Na Saúde, Campo Verde tem investido o dobro do que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal, que é de 15% da arrecadação municipal. Nos últimos três anos esse percentual chegou a 32%

Os recursos aplicados garantem a aquisição de equipamentos, adequações estruturais, como a utilização do prédio da UPA 24 Horas para criação de um complexo de atendimento especializado e diagnóstico, e a ampliação dos serviços na saúde de atenção básica. Graças a isso, Campo Verde apresenta os melhores indicadores entre os 19 municípios da região Sul do Estado.

Na infraestrutura, com exceção do Distrito Industrial II, toda a cidade foi pavimentada. A pavimentação contemplou também o Assentamento Santo Antônio da Fartura, que teve a área urbana asfaltada. Um portal dotado de guarita para a Polícia Militar foi construído na entrada da cidade, na MT-140. Também são realizados investimentos na aquisição de máquinas e caminhões que garantem a manutenção de toda a malha viária do interior do município e da área urbana.

O lazer e o esporte também têm recebido investimentos que contribuem com a qualidade de vida dos moradores. Entre os bairros Jardim América e Recanto dos Pássaros, a Prefeitura está investindo recursos próprios na construção de um parque com 32 mil metros quadrados de área, campo de futebol, campo de futebol society, quadra poliesportiva, quadra de areia, pista de bicicross, pista para caminhada, parque infantil e quiosque. O local, que está em fase final de conclusão, será um novo cartão postal da cidade.

 

 

nova-campo-verde-mt-2-e1569940188318.jpg

 

 

CAMPO VERDE, SUA HISTÓRIA E SEU POVO

Em 1988, o então distrito de Vista Alegre, que nada mais era do que um aglomerado de casas, transformou-se no município de Campo Verde, emancipado no dia 4 de julho. A cidade de localização estratégica em meio ao cerrado mato-grossense, bem no encontro da BR-070 e a MT-140, se tornou rapidamente em referência de desenvolvimento socioeconômico, com um crescimento acima da média das demais cidades brasileiras.

Hoje, passados 32 anos, com uma infraestrutura privilegiada, Campo Verde está preparada para se tornar não somente um polo produtor de matéria prima, mas também industrial e comercial. A cidade tem avenidas largas, espaços públicos limpos e bem conservados, vários acessos a diferentes regiões do estado, além de riquezas naturais.  Já está atraindo os olhares de investidores de todos os lugares do mundo.  

Conhecida como celeiro do algodão brasileiro, devido a produção de 380 mil toneladas de algodão em caroço anualmente, a cidade atrai olhares de grandes empresas têxteis do Brasil, que vem buscar na cidade grande parte da matéria prima para sua produção.

Com três indústrias de fiação, já consegue produzir toda a cadeia do algodão, desde a semente até a confecção de tecidos. E outros investimentos na área têxtil estão por vir, indústrias de confecção, logística, transportes e tudo mais que está relacionado ao setor.  

Além do algodão, os produtores rurais que habitam a cidade, produzem juntos 820 mil toneladas de soja, 726 mil toneladas de milho, além de 27 milhões de dúzias de ovos e 70 mil suínos. Seu rebanho bovino é formado por 90 mil cabeças.

A força de trabalho de seu povo, atrelada ao desenvolvimento pujante coloca Campo Verde como o segundo maior PIB Agropecuário de Mato Grosso e o 4º maior do Brasil, com R$ 664,3 milhões gerados anualmente. Essa geração de receita no campo reflete positivamente na cidade, que não para de aumentar. O crescimento populacional de 5% ao ano em média, se reflete em um desenvolvimento baseado na sustentabilidade e capacidade de empregos e formação de mão-de-obra.

Quem mora em Campo Verde tem acesso a uma qualidade de vida que também se diferencia dos demais municípios. As opções de lazer e atividades físicas são diversas e variadas, com amplas praças e parques bem cuidados, com lagos, pistas para caminhadas, praia artificial, campos de futebol society, quadras poliesportivas, praça de alimentação e playground.

Na educação, o índice do município é de 0,7979. Em 2015, o Ensino Fundamental de Campo Verde foi apontado pela Avaliação Nacional da Alfabetização, feita pelo Ministério da Educação, como a melhor de Mato Grosso para alunos do 3º ano.

Na geração de emprego e renda, Campo Verde está entre os 10 municípios que mais geram empregos em Mato Grosso.

 Outro indicador que demonstra o quanto Campo Verde se destaca em Mato Grosso é o Índice KGM de Avaliação dos Municípios, elaborado anualmente pelo Instituto KGM de Pesquisa, de Cuiabá. Em 2018, Campo Verde ficou entre os dez melhores do estado com até 50 mil habitantes.

Assim é Campo Verde, um clima maravilhoso e exclusivo, tanto para se plantar como para se viver. Um lugar construído pela força de migrantes que buscaram no cerrado mato-grossense a realização dos seus sonhos de uma vida melhor e que, a cada ano, ajudam a fazer da cidade um ótimo lugar para se viver e excelente para se investir. 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz