RECONHECIMENTO /

Sábado, 14 de Dezembro de 2019, 07h:00

A | A | A

CNJ premia empresa de Primavera do Leste por boas práticas na infância

Projeto Humanização e manejo da dor na aplicação de vacinas será aplicado a nível nacional


Imagem de Capa
Assessoria de Imprensa

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) é uma instituição pública que visa aperfeiçoar o trabalho do sistema judiciário brasileiro, principalmente no que diz respeito ao controle e à transparência administrativa e processual. Além disso, desenvolve e coordena vários programas de âmbito Nacional que priorizam diversas áreas, dentre elas, os direitos humanos.

Como parte do Projeto “Justiça Começa na Infância: fortalecendo a atuação do Sistema de Justiça na promoção de direitos para o desenvolvimento humano integral”, o CNJ criou o Pacto pela infância. Uma iniciativa com objetivo de alcançar crianças de 0 a 6 anos em situação de vulnerabilidade em todo país. Por meio de chamada pública em edital foi realizado seleção e premiação de Boas Práticas relacionadas à promoção de direitos e à atenção à primeira infância. Durante o Seminário do Pacto Nacional pela Primeira Infância que aconteceu na penúltima semana em São Paulo, foram premiadas as 12 melhores práticas desenvolvidas em prol da infância pelo Brasil, divididas em 4 categorias. Os três primeiros lugares das categorias “Empresas”, “Governo”, “Sistema de Justiça” e “Sociedade Civil Organizada” passam, agora, para o próximo passo do programa, que é a disseminação das práticas por todo o país.

A Applik Clínica de Vacinação, de Primavera do Leste, foi uma das vencedoras da seleção, ocupando o terceiro lugar na categoria Empresas com o projeto “Humanização e manejo da dor na aplicação de vacinas”. A Applik atua em Primavera do Leste há mais de dois anos e para o proprietário e representante da empresa, Dr Luiz Marcos Pinheiro Borges, que esteve em São Paulo para receber a premiação.  “O reconhecimento é motivo de alegria já que a prática será disseminada para todo o país. Estou em Primavera há 10 anos e tenho muito orgulho de ser mato-grossense e um primaverense ter recebido esta premiação. É muito bom saber que daqui saem boas práticas para todo o país”, diz Luiz Marcos, muito animado pela premiação.

 

DETALHES DA PRÁTICA PREMIADA

Por meio de uma observação atenta dos relatos dos pacientes que começaram a frequentar a clínica, a Applik detectou a necessidade de criar um atendimento especializado, padronizado e humanizado, pois muitos pais haviam perdido o interesse em imunizar os filhos devido aos traumas causados tanto pelo medo de agulhas, como pela falta de humanização no atendimento por parte dos profissionais da saúde e a falta de orientação adequada. Dessa forma, foram desenvolvidas as práticas de forma humanizada e com redução da dor no momento da aplicação. Os pais e as crianças são acolhidos desde a chegada até a saída em um ambiente aconchegante e pensado para o público infantil; todas as dúvidas são tiradas e os procedimentos são previamente explicados.

“O pânico de agulhas, de pessoas de branco e de ser contido começam nessa fase de nossas vidas. Muitas crianças e adultos tem um enfrentamento ruim desta situação e ficam transformados tamanha são as alterações físicas e psíquicas que acontecem ao serem vacinadas. Muitos deixam de se vacinar e vacinar seus filhos e protelam esse momento ao máximo”, justifica a enfermeira da Clínica Synnara Almeida.

Diante desse cenário, a Appliik identificou a necessidade de utilizar uma prática humanizada, que vai do início ao fim do atendimento. O procedimento é realizado conforme a aceitação dos pais e das crianças, sem a necessidade de pressa. Recomenda-se que os bebês estejam no colo da mãe, pois assim se sentem mais seguros e confortáveis, oferecendo a amamentação em livre demanda no momento do procedimento.

O uso de técnicas de aplicação de vacinas de forma correta juntamente com os recursos tecnológicos disponíveis transforma o momento da vacinação em algo prazeroso e divertido. A clínica dispõe de dispositivos como o Buzzy e o Pik Luk que auxiliam na dessensibilização tátil, reduzindo a dor no momento da agulhada. Os cartões de distração utilizados pela enfermeira também colaboram no bem-estar da criança, fazendo com que ela desenvolva uma interação com o profissional.  Os óculos de Realidade Virtual também é um dos dispositivos utilizados pela Clínica, criando um ambiente artificial tridimensional simulado. Através desta tecnologia o paciente interage com o mundo virtual, por imersão do audiovisual, e o foco da criança muda, de forma que auxilia na percepção da dor. Outros métodos como a “medalha da coragem” e a “gaveta da alegria” também estão disponíveis na Clínica.

Todas estas práticas apresentadas pela Applik podem ser desenvolvidas em clínicas particulares ou em unidades de saúde pública por todo o país por ser de baixo custo e fácil aplicabilidade por parte dos profissionais. Estima-se que, com recursos definidos, 100% das 36 mil salas de vacina pelo país estejam aplicando essa prática em menos 6 meses.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz