SAÚDE /

Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020, 07h:00

A | A | A

Em menos de uma semana, Primavera tem 18 casos confirmados de dengue

Diante do cenário preocupante, visitas a domicílios serão intensificadas e moradores de locais onde forem encontrados criadouros do mosquito serão multados


Imagem de Capa
Jaqueline Hatamoto

Segundo dados da Sala de Controle da dengue de Primavera do Leste, em apenas três dias, no período que corresponde de 20 a 23 de janeiro, foram confirmados 18 casos de dengue na cidade, o número pode ser ainda maior, já que existem muitos casos ainda em investigação.

Nas duas primeiras semanas do ano, foram emitidas 36 notificações/investigações de dengue. No mesmo período de 2019 foram apenas 4 e em 2018 foi uma.

Diante do cenário preocupante, Agentes de Endemias, acompanhadas de fiscais de posturas, darão início à visita em imóveis e caso algum criadouro do mosquito seja encontrado, o morador já será multado. “Todos nós estamos fazendo nossa parte, realizando campanhas e diversas reuniões, porém os moradores devem fazer a parte deles, eliminando também esses criadouros. Já temos autorização do Ministério Público, e vamos entrar nos imóveis e caso seja encontrado algum foco de dengue, esse morador será multado”, explicou o presidente da sala, que foi criada com objetivo de montar estratégias para combater com eficácia o foco/criadouro do mosquito da dengue, Amarildo de Jesus.

Os casos de dengue confirmados são de moradores dos seguintes bairro: Centro Leste, Castelândia, Parque Eldorado, São José, Poncho Verde, Cristo Rei, Primavera II, Centro, Jardim Progresso, Padre Onesto, Buritis, Florença e Primavera III.

Além das visitas aos imóveis, as agentes de endemias também estão realizando o tratamento e vistoria em bueiros da cidade, o objetivo é eliminar a água parada e consequentemente criadouros do mosquito da dengue.

Os Agentes de Combate a Endemias (ACE) pedem o auxílio da população de Primavera do Leste para que permitam a entrada dos mesmos nos quintais das residências para averiguação de focos do Aedes Aegypti, assim podem eliminar qualquer criadouro.

A situação de Primavera do Leste não é diferente de outras cidades do estado, que também tem muitos casos da doença já confirmados. Segundo a o presidente da sala de controle, a única alternativa para que a cidade fique livre de uma epidemia está na mão da população. Isso mesmo! Basta que cada um mantenha limpo seu quintal.

De acordo com um levantamento feito pela Vigilância Ambiental, 63% dos focos do mosquito estão alojados em lixo doméstico, ou seja, em material que pode armazenar água e que não tiveram a destinação correta. “Para nossa surpresa, descobrimos que o maior problema hoje instalado no município é em relação ao lixo doméstico. As pessoas não estão tendo o hábito de descartar o lixo de forma adequada. Quando entra no quintal, se encontra muito lixo, garrafa pets, pote de margarina e até mesmo tampa de garrafa. E é nesse local que a fêmea vai botar os ovos”, explicou a bióloga Márcia Veloso, da Secretaria de Saúde Estadual – escritório regional Rondonópolis

Vale destacar que uma criança, moradora do bairro Poncho Verde, se recupera da dengue, o caso dela foi confirmado como caso de dengue grave e a menina precisou ser internada na Unidade de Terapia Intensiva – U.T.I de Rondonópolis.

De acordo com o Informe Epidemiológico, da Secretaria Municipal de Saúde, emitido em dezembro, referente ao mês de novembro, foram registrados 836 casos de dengue, sendo descartados 240 e confirmados 585, com um óbito em 2019.

 

RECOMENDAÇÕES

Para reduzir a proliferação do mosquito vetor das doenças, o Ministério da Saúde aconselha a população a manter ações de prevenção, como verificar se existe algum tipo de depósito de água no quintal ou dentro de casa. Outra recomendação é lavar semanalmente, com água e sabão, recipientes como vasilhas de água do animal de estimação e vasos de plantas.

Não deixar que se formem pilhas de lixo ou entulho em locais abertos, como quintais, praças e terrenos baldios é outro ponto importante. Outro hábito que pode fazer diferença na prevenção da dengue é a limpeza regular das calhas, com a devida remoção de folhas que podem se acumular durante o inverno.

 

SALA DE CONTROLE

Com objetivo de traçar ações que levem ao efetivo controle de casos de dengue na cidade, a Sala de Controle foi retomada em 2019.  Composta por membros dos poderes Legislativo e Executivo, bem como representantes das secretarias de Saúde, Educação, Obras e Meio Ambiente e também Polícia Militar, sociedade civil organizada e imprensa, a Sala foi criada no ano de 2016.

Além de organizar o trabalho de todos os agentes de endemias no combate aos focos de proliferação do mosquito, os participantes têm como missão fortalecer o controle do combate do vetor, no caso o Aedes Aegypti, propondo ações a serem desenvolvidas em toda cidade. “Não basta só dar ideias, é preciso ajudar a executar e envolver mais pessoas nesta ação, afim de atingir o maior número possível de pessoas, traçando sempre metas a serem cumpridas”, ressaltou Amarildo de Jesus, presidente da sala.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz