INFORME PUBLICITÁRIO /

Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019, 07h:00

A | A | A

Sicoob Central Rondon abre Planejamento Estratégico 2020 reforçando a importância do propósito

A cooperativa financeira deve ser o de combinar pessoas com tecnologia, tendo o fator humano como grande diferencial.


Imagem de Capa
Assessoria de Imprensa

“Conectar pessoas para promover justiça financeira e prosperidade”. A frase resume a tônica das palestras de abertura do Planejamento Estratégico 2020 do Sicoob Central Rondon, realizado no dia 28 de novembro, no Hotel Holiday Inn, em Cuiabá (MT), proferidas pelo presidente do Sicoob Confederação, Henrique Castilhano Vilares, e pelo diretor-presidente do Bancoob, Marco Aurélio Almada. Eles falaram sobre a importância de ter um propósito, que no caso da cooperativa financeira deve ser o de combinar pessoas com tecnologia, tendo o fator humano como grande diferencial.

Na abertura, a presidente do Sicoob Central Rondon, Aifa Naomi, antecipou um pouco do que viria na fala dos executivos ao ressaltar que os novos tempos e a crescente concorrência exigem posturas assertivas e proatividade. “Cada vez mais precisamos estar atentos ao que acontece à nossa volta e, principalmente, no mercado, sem nos esquecermos de nossa missão e dos princípios que regem o cooperativismo”, alertou, ressaltando que neste caso o desafio é ainda maior. Segundo ela, é preciso “ser competitivo sem deixar de lado valores como a colaboração, a cooperação, o equilíbrio econômico”.

Henrique Vilares traçou uma linha da evolução do pensamento estratégico do Sicoob desde 2007 e ressaltou que o atual ciclo é baseado no propósito, que é o diferencial de mercado do sistema. “Nós somos diferentes, porque nós não vendemos por vender, nós estamos atendendo o dono do negócio, que é a principal razão. Por isso o Sicoob tem um triângulo invertido como símbolo, a base que manda, ou seja, o cooperado. E é por ele que a gente trabalha”, frisou. Os números, segundo Vilares, mostram que o Sicoob está no caminho certo, com uma média de crescimento de 20% ao ano nos últimos dez anos. Hoje são R$ 114 bilhões de ativos administrados, em uma curva ascendente, exemplificou.

Antes de iniciar sua palestra, Marco Aurélio Almada teceu elogios ao que ele chamou de “virada” da Central Rondon nos últimos anos, tornando-se destaque dentro do Sistema Sicoob, e do papel importante da presidente Aifa Naomi nesse resultado. Ele falou do momento vivido hoje no sistema financeiro nacional, de como os bancos estão se posicionando e o que está acontecendo a partir da introdução de novas tecnologias no negócio bancário.

O executivo salientou a necessidade de aumentar a base de associados. “Não adianta a gente fazer o dever de casa na área de TI, se isso não se transformar em dever de casa de nossas cooperativas/sistema trazendo novos cooperados na nossa plataforma. Porque, no final do dia, quem paga a conta é o usuário de todos esses serviços, seja ele na forma de associado ou de cliente. Esse é o nome do desafio do momento”.

O diretor-presidente também apresentou grandes números, indicadores de desempenho e volumes da campanha nacional de vendas que mostram a Central Rondon entre os destaques no cenário nacional, em alguns quesitos inclusive acima da média do sistema. Para Norival Curado, presidente do Sicoob Norte MT, cooperativa ligada à Central Rondon, o sistema como um todo vai muito bem. “Enquanto o mercado brasileiro cresce em média 4% ou 5%, o Sicoob nacionalmente cresce de 20% a 25%.

O Sicoob Central Rondon está num momento totalmente diferenciado, de expansão, com novas agências, contratando pessoas preparadas. Está mostrando que é uma cooperativa direcionada às pessoas, mas que tem uma tecnologia diferenciada. Além de cuidar de pessoas nós damos conforto com tecnologia e bom atendimento”, analisou.

O planejamento contou com a estreia do Sicoob Fronteiras, de Rondônia, que passou a fazer parte da Central recentemente, o que foi bastante comemorado pelo presidente Carlos Alberto Biasi. Segundo ele, a cooperativa foi muito bem recebida e um dos pontos chave na decisão de ingressar no sistema foi justamente a segurança e o profissionalismo. “Dentro do princípio cooperativista, a gente vê o Sicoob muito intenso nisto e para nós é um privilégio estar debutando nesse momento, nessa participação junto com as demais singulares, buscando alcançar coisas melhores para a cooperativa e para os cooperados, que é o objetivo maior”, festejou.   

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz